Vamos falar sobre "Família Tradicional Brasileira" ?



Hoje, tomada pela coragem de uma noite mal dormida seguida de um dia realmente incrível, resolvi entrar em um assunto que realmente tem me incomodado esses tempos. Para quem não sabe, acho até difícil não saber, o termo "Família Tradicional Brasileira" tem sido muito usado ultimamente, para designar um grupo social em que casais são héteros e tem filhos. Até aqui acredito que todos estejam entendendo "Ah, sim, Lana, a família composta por pai, mãe, filho e filha". Esse termozinho , que eu odeio por sinal — deixarei logo clara a minha posição antes que alguém leia o texto iludido achando que vou bater palmas e dizer a família é sim pai e mãe e blábláblá — começou a ser usado quando uma cena de uma novela da Globo, Babilônica, mostrando um casal de lésbicas se beijando.

A polêmica foi gerada por causa da idade das senhoras — ou simplesmente porque alguns noveleiros são preconceituosos e idiotas — e rendeu muito em redes sociais, em discussões entre amigos e familiares e infelizmente até mesmo entre políticos. E, para mim, foi algo totalmente desnecessário, não estou inteirada da situação, mas sei que alguns políticos evangélicos até mesmo queriam tirar a novela do ar, outro absurdo. Fiquei envergonhada quando vi que vereadores de uma cidade aqui da Bahia, queriam proibir a novela, vê se pode ?


Bem, para mim, essa história toda beira a o absurdo por diversas razões. A primeira delas e talvez a mais forte de todas é que cada pessoa tem direito a fazer o que quer. Gente, amor existe em diversas formas, querer reprimir, dizer que não é legal, que não é legitimo, é simplesmente reprimir e apagar milhares de pessoas que se amam da história, como se amar alguém do mesmo sexo fosse um grande crime ou pecado. Falando em pecado, a segunda razão pela qual não suporto essa palhaçada (porque venhamos e convenhamos, isto é sim uma palhaçada e das mais gritantes) é porque pessoas que tem suas religiões usam a Bíblia e suas crenças para espalhar discursos de ódio. 

Sério, eu não consigo entender como pessoas que são dá igreja, que repetem o que Cristo disse sobre "Amar uns aos outros" chegarem para pessoas que assim com elas e soltam os cachorros. A quem acha que isso é lindo, bonito e legal, sinto dizer, mas você é preconceituoso e não é Cristão, Evangélico ou sei lá o que você diz ser.

Meu terceiro motivo é o que tentarei explicar aqui: Não existe família tradicional no Brasil. Sério. Por mais que as pessoas gritem, jurem de pés juntos e façam o maior discurso do mundo para tentar sacramentar isso, será em vão. Desde os tempos em que o Brasil não se chamava Brasil, isso não existia. Tanto que os índios vivam em tribos, juntos, cada um com sua função, tinham um líder que ajudava na tomada de decisões e todos estavam ali, no mesmo espaço, como uma família. Toda a tribo. Isso não era família tradicional, era simplesmente uma família.

Depois disso, o fato de pessoas serem trazidas para o Brasil, de serem escravizadas, colocadas em Senzalas, forçados a trabalharem dia após dia, debaixo do sol quente, recebendo chicotadas nas costas, sendo violentados de todas as formas possíveis, mental e fisicamente. Pessoas que eram de países diferentes, que foram arrancados de seus berços, de suas famílias, de suas histórias, que foram jogadas aqui, nesse país maravilhosamente tradicional e que só conseguiram de alguma forma serem felizes em meio a toda aquela brutalidade quando se apaixonavam por pessoas que viviam nas mesmas condições que eles ou quando fugiam para Quilombos e viviam lá, em família, com um grupo de outras pessoas que também haviam sido escravizadas e que estavam ali, tentando ser livres. Isso não era considerado família tradicional, era simplesmente família.

Quando mulheres tinham filhos e se tornavam viúvas muito cedo, quando eram tão pobres que não podiam criar todos eles sem precisar vender o próprio corpo, por exemplo, quando sacrificavam tudo para poder dar um pouco de comida a seus filhos e até mesmo aquelas que tinham algum dinheiro, brancas e ditas "sinhazinhas", quando ficavam viúvas e eram obrigadas a casar novamente para que toda a fortuna fosse administrada por homens. Isso quando tinha sorte de casar novamente, quando não era deixadas de lado pela sociedade com filhos, expulsas sem dó nem piedade. Isso não era considerado família tradicional brasileira.

Hoje, quando mulheres tem filhos e são abandonadas. Quando homens tem filhos e são abandonados. Ou talvez até depois de um divorcio, de uma posse de guarda do menor...Um pai ou uma mãe que cuida sozinho da sua criança, que os leva para a escola, que os ajuda nos deveres, que sustentam a casa e que muitas vezes não recebe pensão do ex-cônjuge. E que são vistos de formas diferentes pela sociedade, pois é ela é "A mãe solteira" que as outras mulheres falam com um certo desprezo na voz e ele é o "Pai solteiro" que faz quase todas as mesmas mulheres que falavam com desprezo antes, glorificar de pé. Até nesses casos parecidos porem muito diferentes, isso não é considerado família brasileira.

Quando homens se casam com homens e tem um filho, quando mulheres casam com mulheres e tem uma filha, uma parte do povo brasileiro, a parte preconceituosa, a parte que se diz moralista, a parte que acha que todas as famílias tem que ser iguais, não consideram uma família tradicional brasileira. E eles estão certos, sabe porquê ? Porque isso não existe. Se desde o principio vemos diferentes tipos de famílias, com formas diferentes, porque vamos padronizar, dizer que é aquele modelinho ali, pré-estabelecido, que é o certo ? Ele não é, você conhece alguém em que os pais são separados ? Você conhece alguém com duas mães ou dois pais ? Você conhece alguém que foi criado só pela mãe ou só pelo pai ? 

Se você conhece, o que acho difícil não acontecer porque nosso país é super diversificado, você conhece uma família brasileira. Nada de família tradicional, porque ao inferno com essas três palavras que unidas me fazem ter ânsia de vômito. Família é família, não importa se é um cachorro e um homem. Se ele ama o animal de estimação dele, quem é que vai dizer que eles não são família ? Vamos esquecer esse modelo que é enfiado goela abaixo, vamos esquecer essas palavras, vamos simplesmente amar uns aos outros. Sem esse preconceito. Sem essa falta de lógica. Lembrem-se de que não existe certo ou errado, assim como não existe essa coisa de "Família Tradicional Brasileira". 

Fui criado por minha mãe. E ela é minha família. Não reconheço esse tradicional no meio de "Família Brasileira", porque se eu reconhecesse, se eu ao menos acreditasse nisso, o que seria da minha família ? Da mãe que me criou, que me incentivou, que acreditou em mim e se orgulha da filha que tem ? O que seria de mim, filha que acredita totalmente em famílias de tipos diferentes e diversos ?  Essa é a minha família, como sei que é a família de amigos, de pessoas que conheço. Pessoas que talvez nem tenham conhecidos os pais, mas que sabem que família é quem está ao seu lado nas melhores e nas piores horas, pessoas que te dão amor e carinho e que você ama de verdade. Família é amor e é a essa filosofia a que eu sirvo e é a essa família que sei que o meu país, infelizmente cheio de preconceituosos, é povoado. 





Vamos falar sobre "Família Tradicional Brasileira" ? Vamos falar sobre "Família Tradicional Brasileira" ? Reviewed by A escritora sonhadora on 04:28 Rating: 5

2 comentários

  1. Pura verdade Laninha, papo idiota esse de 'família tradicional', família pode ser apenas um casal (hetero, homo, etc), mãe/pai com filho/filha, e muitas outras variações. Família é onde existe amor. Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente. Acho um insulto a todas as outras famílias brasileiras. Toda essa coisa de tradição... Nosso país tem costumes e hábitos, algo que se resumo simplesmente em cultura, mas colocar a construção de uma família como tradicional, nossa, já é maluquice, alienação, besteira... E mil outras palavras nada agradáveis. Concordo com você, Família é onde existe amor!

      Beijoos!

      Excluir